Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Fotos’

Caixa d’água vista da antiga usina de energia, em Fordlândia. Caixa d’água vista pela janela da fábrica da Packard Motors, em Detroit./Foto: Fordlândia – Juliana Geller, Detroit – Marchand e Meffre

Não é a história intimamente ligada à Ford Motor Company a única semelhança que resta entre Fordlândia e Detroit. Também são parecidos os prédios em ruínas que vemos nos dois locais.

Em Fordlândia, a estrutura foi deixada para trás pela companhia e em Detroit, a partir da década de 50, a relocação de indústrias para os subúrbios e uma nova organização do espaço urbano aceleraram o êxodo da população das áreas centrais para as periferias, fazendo com que bairros inteiros ficassem abandonados.

Fachada da antiga usina, em Fordlândia/Foto: Juliana Geller

Michigan Central Station, em Detroit/Foto: Marchand e Meffre

Sala do Detroit National Bank, em Detroit/Foto: Marchand e Meffre

Administração de máquinas e ferramentas, no cercado, em Forlândia/Foto: Juliana Geller

O trabalho dos fotógrafos Yves Marchand e Romain Meffre, realizado de 2005 a 2010 e exposto ano passado na Gun Gallery em Estocolmo, retrata os prédios abandonados de Detroit, agora a coleção está na Wilmotte Gallery em Londres. Para conhecer as ruínas de Detroit é possível também fazer um tour com guia pelos locais.

O que restou de uma cadeira de dentista, no Hospital Henry Ford, em Fordlândia/Foto: Juliana Geller

Consultório de dentista abandonado, em Detroit/Foto: Marchand e Meffre

Sala de aula de biologia, em Detroit/Foto: Marchand e Meffre

Móveis do hospital armazenados no cercado, em Fordlândia/Foto: Juliana Geller

Você pode ver mais fotos da coleção de Marchand e Meffre neste link.

Anúncios

Read Full Post »

Desde a fundação de Fordlândia, o porto tem papel importantíssimo para a sobrevivência do local. Através dele deveria ser escoada a produção de borracha da plantação da Ford e por ele chegavam materiais, mantimentos e trabalhadores para que o projeto continuasse funcionando. Hoje não é muito diferente, apesar de haver uma estrada ligando Fordlândia a BR-163, o principal ponto de entrada da vila continua sendo o porto. Lá aportam os barcos que trazem pessoas e mercadorias para o local.

Quando o Lake Ormoc partiu de Dearborn pela primeira vez com destino à Amazônia, carregava em seus porões a estrutura completa de uma usina de energia, que serviria para gerar a eletricidade necessária ao funcionamento da bomba de água e das máquinas da serraria e da oficina de Fordlândia.

Veja também: Ontem e Hoje – Hotel Zebu e da Escola Princesa Izabel e Ontem e hoje – Hospital de Fordlândia

Read Full Post »

Tanto em Fordlândia quanto em Belterra, ainda é possível ver de perto algumas construções da época em que as cidades erm sedes da Companhia Ford Industrial do Brasil. Muitos  destes edifícios sequer passaram por manutenção nos últimos 30 anos. Hoje vamos conhecer o Hotel Zebu, em Fordlândia, que foi, originalmente, uma casa da Vila Americana adaptada para servir de hotel. Estima-se que tenha sido construído antes de 1933.

Fotos: 1974 - Murillo Paiva, 2012 - Juliana Geller

A Escola Princesa Izabel*, também em Fordlândia, é datada de 1931. O prédio já passou por ampliações e hoje funcionam lá turmas de ensino infantil e fundamental.

Fotos: 1933 - The Henry Ford, 1974 - Murillo Paiva, 2012 - Juliana Geller

*O nome da escola grafa-se com Z, apesar de o nome da princesa grafar-se com S

Read Full Post »

O antigo hospital de Fordlândia teve suas telhas removidas nas últimas semanas. De acordo com a imprensa da região, as telhas vinham sendo retiradas com autorização da prefeitura de Aveiro. A denúncia foi feita ao Ministério Público Federal (MPF) pelos próprios moradores da comunidade, por meio de um abaixo-assinado.

Hospital de Fordlândia destelhado/Foto: Fordlândia Portal de Notícias

Ao saber dos acontecimentos, o cineasta Marinho Andrade, diretor do documentário Fordlândia, entrou em contato com o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que no último dia 07 enviou uma arquiteta para vistoriar os imóveis tombados e avaliar os danos causados pelo destelhamento. O IPHAN iniciou um projeto para o tombamento e revitalização do patrimônio histórico de Fordlândia em 2008.

Hospital de Fordlândia em 17 de fevereiro de 2012/Foto: Juliana Geller - Sangue, suor e seringais

 No dia 08, após receber provas do envolvimento da prefeitura, o MPF, através do procurador Marcel Brugnera Mesquita, encaminhou uma recomendação ao prefeito de Aveiro. O documento estabelece o prazo de 30 dias para que o município adote as medidas de preservação determinadas pelo IPHAN.

Hospital de Fordlândia em 1933 (ca)/Foto: The Henry Ford Org.

O hospital de Fordlândia já foi referência para toda a região, lá foi realizado o primeiro transplante de pele do país. Ele deixou de funcionar na década de 80.
Fontes: Portal NoTapajós, Fordlândia Portal de Notícias e Ministério Público Federal

Read Full Post »

Há pouco menos de um ano, liderados pelo senhor Expedito Brito, presidente da associação de moradores de Fordlândia, famílias da comunidade passaram a viver na antiga Vila Americana, que foi construída pela Companhia Ford Industrial do Brasil para  abrigar os funcionários americanos mais graduados.

Entrada da Vila Americana

Segundo o próprio Expedito, o objetivo da “invasão” é restaurar e preservar o que resta das construções. Ele conta que visitava diariamente as casas, via que estavam sendo depredadas e saqueadas, e percebeu que não havia outra maneira de preservá-las senão morando nelas para coibir a ação de ladrões e vândalos.

Expedito Brito, presidente da Associação de Moradores de Fordlândia

Casa ocupada pela família de Expedito

Depois que ele se mudou para uma das casas, algumas pessoas pediram permissão para ocupar as outras, Expedito afirma que permitiu, porém reuniu-se com os outros moradores para deixar acordado que as casas não poderiam ser descaracterizadas, que nada poderia ser levado dali para outros lugares e que caso a justiça determinasse, eles deveriam deixar o local imediatamente.

O piso, a mesa e as cadeiras, e a cristaleira da casa ocupada por Expedito são originais da época em que a Ford construiu a cidade

Na cozinha, o piso, a pia de ferro e os armários embutidos também são originais

À época, o governo do município de Aveiro se manifestou contrário ao ato e argumentou que aquelas casas eram de propriedade da União e que já havia um projeto da prefeitura de Aveiro junto ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) para a restauração do patrimônio.

Casa da Vila Americana em foto de outubro de 2010/Adrica Coelho - Blog Forum BR163

De fato, a parceria foi firmada em três audiências públicas entre os anos de 2009 e 2010, segundo as quais o Governo Federal disponibilizaria 23 milhões de reais para a revitalização de casas, galpões e outros prédios. Os trabalhos deveriam ter início em fevereiro de 2011, com a restauração do Hotel Zebu, da caixa d’água e de cinco casas da Vila Americana.

O antigo Hotel Zebu

Casa da Vila Americana em ruínas

Até hoje, nem a União e nem o IPHAN requisitaram a reintegração de posse das casas. Três delas estão ocupadas, uma está em ruínas e o antigo hotel segue abandonado.

*Até o momento, não foi possível entrar em contato com a prefeitura de Aveiro.

**Fotos: Juliana Geller

Read Full Post »

Belterra fica a aproximadamente 45km de Santarém, no Oeste do Pará, e assim como Fordlândia, localiza-se na margem direita do Rio Tapajós. A população, de acordo com dados do censo do IBGE de 2010, é de 16.324 habitantes.

O município foi emancipado no fim do ano de 1995 e em 1996 elegeu seu primeiro prefeito, o autor do projeto de emancipação Oti Santos. A economia de Belterra é baseada na agricultura, na pecuária, na silvicultura e na exploração da floresta.

Casas com estilo americano na cidade de Belterra (Celivaldo Carneiro)

Casas com estilo americano na cidade de Belterra (Celivaldo Carneiro)

  • Como chegar: partindo de Santarém é possível ir de barco ou de carro até Belterra. De carro, pela BR-163, a viagem leva cerca de 50 minutos.
  • Curiosidade: Belterra é a contração de Bela Terra, primeiro nome dado pela Ford para o local.

Read Full Post »

Distante aproximadamente 750km de Belém, a capital do Pará, Fordlândia fica na margem direita do Rio Tapajós e é uma localidade de Aveiro. No total, o município de Aveiro tem 15 mil habitantes, dos quais cerca de 1000 vivem em Fordlândia, isso corresponde a um quinto da população da vila no auge do empreendimento de Ford.

*A localização apontada pelo Google Maps está equivocada, a indicação deveria estar na margem direita do Rio Tapajós.

Atualmente, a economia de Fordlândia é baseada na renda de pensionistas do Governo Federal, no pequeno comércio local e no manejo de produtos da floresta e do rio.

Vista aérea de Fordlândia - 1933 (Arquitetonico/Coleção Henry Ford)

Vista aérea de Fordlândia - 1933 (Arquitetonico/Coleção Henry Ford)

  • Como chegar: o modo mais fácil de chegar à Fordlândia é ir de avião até  Santarém (as companhias TAM, Gol e Trip operam vôos para a cidade) e de lá tomar um barco (normalmente os barcos com parada em Fordlândia têm como destino final o município de Itaituba), o tempo de viagem pode variar entre 8h e 18h, dependendo do tipo de embarcação.
  • Curiosidade: “Califórnia do Tapajós” é o apelido pelo qual Fordlândia é conhecida.

Read Full Post »

Older Posts »